Chapada Diamantina

Chapada Diamantina, um país no coração da Bahia.

Maior que muitos países como a Bélgica e a Holanda,  a Chapada Diamantina tem história, belas paisagens, trilhas,  inúmeras cachoeiras e serras.  A área que compreende a Chapada Diamantina possui um dos complexos geológicos mais ricos da América do Sul.

Inicialmente habitada pelos índios Maracás, a ocupação da região remonta aos anos áureos da exploração de jazidas e minérios, a partir de 1710. Da primeira década do século XIX ao final do século XX, a Chapada viveu da riqueza e prestígio dos diamantes e do ouro.

Reduto de belezas naturais, a Chapada abarca uma diversidade grande de fauna e flora. São mais de 50 tipos de orquídeas, bromélias e trepadeiras, além de espécies animais raras. O Parque Nacional da Chapada Diamantina, criado na década de 80 do séc. XX,  atua como órgão protetor e é sem dúvida, um dos parques nacionais com a maior diversidade em relevo e paisagens do país, unindo cachoeiras em cânions monumentais, ao azul esverdeado de lagos. Esse paraíso é guardião de muitas riquezas naturais, ocupando cerca de 152 mil hectares, um dos maiores parques de preservação do país fora da região Amazônica.

Mergulhar em cavernas, percorrer trilhas entre paisagens fascinantes cortadas por belos vales e morros é programa imperdível na Chapada. Entretanto o  mergulho em cavernas exige alguns cuidados importantes, para que fatores como o nível da água, a visibilidade e o sistema de oxigênio estejam em perfeita ordem.

Cidades mais visitadas:

Lençois:  Antiga capital do diamante, no Brasil  e tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), esta pequena cidade é o portal da Chapada Diamantina, graças à sua infraestrutura hoteleira,  às boas opções de restaurantes e aos voos regulares vindos de Salvador.

Nos últimos anos, Lençóis vem ganhando ares cosmopolitas, com habitantes vindos de todos os cantos do mundo. Os seus principais atrativos são: os casarios do século 19; a história e cultura herdadas do garimpo; a Serra do Sincorá e os mais de 20 atrativos naturais de fácil acesso em toda a sua volta. Para completar, a cidade possui uma agenda cultural diversificada, com opções que variam de festas tradicionais, como o São João, a shows de MPB, como o Festival de Lençóis.

Como chegar a Lençóis:

  • De avião – Lençóis está a 412Km de Salvador de onde partem vôos para o Aeroporto Coronel Horácio de Matos, a 20Km de Lençóis. Tel: (75) 3625-8100/8825.
  • De ônibus – Várias empresas de várias regiões do país têm ônibus para Salvador e de lá para Lençóis quem opera é a viação Real Expresso –  www.realexpresso.com.br
  • De carro/moto/bike – Através da BR-116 segue-se até o entroncamento com a BR-242 (Bahia-Brasília) ou pega-se a BA-052 sentido Ipirá, seguindo pela BA-488 até Itaberaba, quando pega-se a BR-242 onde há uma entrada para Lençóis.

Andarai:  Situada na encosta leste da Serra do Sincorá, às margens do Rio Baiano, Andaraí significa “Rio dos Morcegos”, na língua dos índios Cariris, primeiros habitantes.

Igatu: Próxima a Andarai, Igatu é uma vila que proporciona passeio por ruinas  dos tempos do garimpo e casas de pedras habitadas por descendentes dos desbravadores da região. Também conhecida como cidade fantasma.

Vale do Capão: Incrustado no meio do Parque Nacional da Chapada Diamantina e cercado por serras, o Vale do Capão resguarda paisagens deslumbrantes. O cenário é basicamente composto por grandes cachoeiras, áreas de Mata Atlântica, montanhas de até 1.500 metros, dentre outras preciosidades naturais. O clima de esoterismo, paz e magia estão presentes no dia a dia local e foram trazidos por jovens ainda embalados pelos sonhos dos anos 70.  A partir do Vale do Capão, também e possível ter acesso a alguns dos lugares  mais famosos da região, como a Cachoeira da Fumaça e o Morrão. A atração cultural que mais chama a atenção dos turistas é o Festival de Jazz do Capão, com shows de artistas renomados da música instrumental brasileira.

Poço EncantadoPasseios mais populares:

Cachoeira da Fumaça: Parte das atrações do Vale do Capão e a maior atração da Chapada Diamantina, é considerada a mais alta do Brasil e quinta do mundo, com 370 m de queda d’água.  Pela altura da queda  e a força dos ventos  a água evapora-se . Daí a denominação “fumaça”.  Existem dois modos diferentes de visitar a Cachoeira da Fumaça . Carinhosamente chamados de “Fumaça de Cima” e “Fumaça por Baixo“.

  •  Acesso à Fumaça de Cima (2hs30) : Saindo do Capão, são cerca de 7 km a pé.
  • Acesso à Fumaça por Baixo (3 dias) : Partindo de Lençois são 25 km, normalmente percorridos em 3 dias de caminhada, por entre serras e rios

Cachoeira do Buracão: Com 85m de altura, é considerada uma das mais belas da região. O diferencial está no seu cânion emoldurado por pedras folhadas e na trilha realizada à margem do rio. Localização: Município de Ibicoara. Acesso a pé: 3 km de trilha.

Morro do Pai Inácio: Com 1.120m de altitude, é o ícone da região, de onde se tem uma vista deslumbrante. Seu monitoramento é realizado pelo GAP (Grupo Ambientalista de Palmeiras). Localização: Município de Palmeiras – à margem da BR-242. Acesso a pé: trilha curta, porém, íngreme, até o seu topo. Tempo médio: 25 minutos

Gruta da Lapa Doce: Uma caverna ampla que possui grande quantidade de formações como estalactites e estalagmites. Imperdível é fazer a sua travessia, de 850 metros. Localização: Município de Iraquara. Acesso a pé: 850 metros de trilha

Gruta Pratinha: Rio e gruta com águas incrivelmente cristalinas onde é possível fazer diversas atividades como flutuação, tirolesa, pedalinho e caiaque. Localização: Município de Iraquara. Acesso: de carro até o atrativo.

Poço Azul: É uma gruta com águas cristalinas, em que o azul vivo da água é resultado da luz do sol. É permitido nadar e realizar flutuação. Localização: Município de Nova Redenção.  Acesso: de carro até o atrativo e mais uma escadaria.

Poço Encantado: As águas são tão cristalinas que não é possível perceber onde o meio aquático começa. Possui cerca de 60 metros de profundidade e não é permitido nadar. A melhor época para visitar o poço são os meses de abril a setembro, devido ao reflexo da luz solar. Localização: Município de Itaetê. Acesso: de carro até o atrativo e mais uma escadaria.

Marimbus: Considerado o pantanal do semiárido baiano, suas águas calmas criam uma paisagem exuberante, repleta de flores aquáticas. O passeio feito de canoa ou caiaque é um dos mais recomendados para família. Existem duas opções diferentes de passeios: uma saindo de Andaraí e a outra de Lençóis. Acesso 1 – Andaraí. Acesso 2 – Lençóis.

Ribeirão do Meio: Está situado no leito do Rio Ribeirão, a 3,5 km de Lençóis, portanto, de fácil acesso para quem está na cidade. É um grande poço com um tobogã natural, ideal para nadar. Esse passeio também pode ser combinado com a Cachoeira do Sossego. Localização: Município de Lençóis. Acesso a pé: 3,5 km de trilha.

Rio Mucugezinho e Poço do Diabo: É possível conhecer os dois atrativos no mesmo passeio. O Rio Mucugezinho forma diversos poços, sendo um dos destaques a cachoeira do Poço do Diabo, de 20 metros, e o seu poço profundo, ideal para nadar e praticar tirolesa ou rapel. Localização: Município de Lençóis. Acesso a pé: nas margens da BR-242 há uma trilha de 5 minutos até o Rio Mucugezinho, e mais uma trilha de 20 minutos até o Poço do Diabo.

Escolha a faixa de datas para ver as tarifas de cada serviço:

De Até